sexta-feira, novembro 07, 2008

O menino que explodiu!




5 comentários:

portno_san disse...

Sei que sou suspeito pra falar sobre esse conto, ou ilustração, mas de todos que ja fizemos esse teve uma carinha um pouco diferente e achei bem bacana, aos poucos nosso trabalho vai se aprimorando e a cada dia que passa poderemos postar aqui para nossos amigos e tb amigos dos amigos o fazemos de bom com muito prazer. Agradeço a todos pela força e atenção.

Wellington Ricardo disse...

Cez você conseguiu transmitir o quanto nossa vida pode ficar “vaidosa”, sem nenhum sentido para viver....e essa realidade não anda tão distante de nós, a vida no século XXI é a descrição do que o seu conto diz, saímos muitas vezes de casa “fazemos o nosso dever” e voltamos embora sem ter tido nenhuma satisfação.... as vezes a pessoa acaba explodindo mesmo rsrsrs


Aquele abraço

Leo disse...

Olá Cezar!!!

Este conto me fez lembrar no mito da caverna de Platão.

Parabéns!!!

Abraço,
Leandro

portno_san disse...

Acho que as explosões da vida vem a todo instante e como prova de como vamos encarar determinado problema, mas é muito importante também lembrar que depois de uma explosão temos quem nos acolha e apague o fogo, sendo amigo, companheiro, sendo dedicado com o próximo. Você sabe fazer isso meu amigo e muito bem por sinal, valeu pela força, hoje lendo esse conto novamente percebi alguns detalhes com outros olhos.

Valmir Santos

Cezar Santos disse...

"Olha-se, mas não vê. A longa rua movimentada de bichos humanosé uma espécie de tabuleta deitada pnde as letras fossem móveis e não formassem sentidos. As casas são somente casas.PERDE-SE A CAPACIDADE DE DAR SENTIDO AO QUE SE VÊ, mas vê-se bem o que é sim."

Fernado Pessoa